sábado, 16 de maio de 2009

Loading...

Psicologia Clínica

A psicologia clínica engloba o estudo e tratamento de problemas de saúde mental: depressão, ansiedade, fobias, comportamentos de dependência
(álcool, drogas), obsessivos e compulsivos, perturbações do comportamento
alimentar, de personalidade, de comportamento infantil e etc.
O campo é muitas vezes considerado de ter começado em 1896 com a abertura da primeira clínica psicológica da Universidade da Pensilvânia em Lightner Witmer. Na primeira metade do século 20, a psicologia clínica foi centrada na avaliação psicológica, com pouca atenção dada ao tratamento. Isto mudou após a década de 40, quando a Segunda Guerra Mundial resultou na necessidade de um grande aumento no número de médicos formados. Desde essa altura, dois grandes modelos educativos têm desenvolvido-o Ph.D. (incidindo sobre a investigação) e as Psy.D. (incidindo em prática). Psicólogos clínicos são agora considerados especialistas na prestação de psicoterapia e, em geral, no prazo de quatro comboios principal teórico-psicodinâmicos orientações e humanista, Cognitivo Comportamental, e de sistemas ou terapia familiar.
O psicólogo clínico é um profissional de psicologia que trabalha na área da saúde mental. A sua formação permite-lhe fazer psicoterapia, que a depender da sua abordagem teórica pode ser psicanálise, psicologia analítica, terapia cognitiva-comportamental, dentre outras. O psicólogo, assim como os demais profissionais de saúde, exceto os médicos, não estão profissionalmente capacitados a receitar medicamentos, uma vez que essa é a área da psiquiatria .
Os psicólogos clínicos estudam casos de forma aprofundada tendo por base a anamnese, a introspecção, a observação de comportamento, a associação livre, podendo também utilizar vários outros métodos qualitativos.
A Diferença entre Psiquiatra, Psicólogo e
Psicanalista?

O psiquiatra é um profissional da medicina que após ter concluído sua formação, opta pela especialização em psiquiatria, abrange estudos em neurologia, psicofarmacologia e treinamento específico para diferentes modalidades de atendimento, tendo por objetico
tratar as doenças mentais.
O psicólogo tem formação superior em psicologia, ciência que estuda os processos mentais (sentimentos, pensamentos, razão) e o comportamento humano.
O psicólogo tem formação superior em
psicologia, ciência que estuda os processos mentais (sentimentos, pensamentos,
razão) e o comportamento humano.Consiste na interpretação dos conteúdos inconscientes de palavras, ações e produções imaginárias de uma pessoa, baseado nas associações livres e na
transferência.
Mitos e verdades sobre a psicologia clínica:

Mito: Apenas pessoas fracas procuram a psicologia clínica.Verdade: Não existem pessoas fortes ou fracas, existem formas de lidar com as situações.Mito: Apenas pessoas com problemas devem procurar um psicólogo.Verdade: As pessoas também procuram um psicólogo porque querem se conhecer melhor.Mito: Um tratamento psicológico vai demorar anos para acabar.Verdade: O tempo de duração de um tratamento varia de acordo com os objetivos almejados. É possível obter excelentes resultados com tratamentos em curto prazo.Mito: Tratamento psicológico é apenas para ricos.Verdade: Existem locais que oferecem atendimento psicológico por preço simbólico. Alguns postos de saúde também oferecem serviço de psicoterapia.


Adolescência! (Alessandra e Joice Psi23)

Buscamos um espaço neste Blog, para abordar um assunto um tanto polêmico e intrigante nos dias atuais, que deixa muitos pais de “cabelo em pé”, a adolescência! Na atualidade cada vez mais cedo, os jovens vem buscando tomar o controle de suas vidas, se tornando mais autênticos visando conquistar seu lugar na sociedade. Contudo, nos deparamos frequentemente com os conflitos internos vivenciados por eles; dúvidas, indecisões, atitudes impensadas que causam conseqüências, enfim problemas de diversas naturezas, e os pais, amigos, ou apenas pessoas próximas, não sabem como agir nem mesmo ajudar e lidar com tais situações. Aí vem o “x” da questão: “A revolta, tristeza e conflitos vivenciados pelos jovens que acabam de deixar a infância são considerados normais nesta etapa de vida, ou simplesmente encarados como uma afronta sem motivos verdadeiros?” Ficou em dúvida? É sobre isso que vamos comentar a seguir, baseando-nos no livro Adolescência Normal, que aborta tal tema, a adolescência; de forma clara e realista através do olhar Psicanalítico.

É observável a olho nu: ele está crescendo rapidamente, ganhando altura, tônus muscular e seu corpo se transforma deixando para trás a identidade até então vivenciada por ele; ele está se desenvolvendo e deixa de ser uma frágil criança! Sua voz fica mais grossa e espinhas indesejadas tomam conta de seu rosto. Ele começa a ter novas amizades, entre elas a de garotas de sua idade, e adere a grupos e novos amigos que se parecem de certa forma com ele. A companhia dos pais já não é mais o suficiente, já não completa o vazio e a sede de conhecimento do mundo que ele tem dentro de si, ele agora é um adolescente e jamais será o mesmo, ele mudou completamente. Suas atitudes, pensamentos e prioridades deixaram de ser as brincadeiras de polícia e ladrão e não só sua idade aumentou, mas também o seu círculo social e as suas dúvidas sobre diversos temas. Ele vai buscar as respostas nos outros e em si mesmo. Agora ele está se preparando para a vida adulta e será um longo caminho de altos e baixos para chegar ao fim desta linha extensa. Mas será que só seu físico, aparência e amizades estão em transformação? A resposta é NÃO! Seu biológico, psicológico, bem como, todo seu interior está mudando e isso causa grande conflito em seus pensamentos, identidade pessoal e forma como as pessoas o vêem. A partir de agora ele irá viver um luto pelo seu antigo corpo, (o corpo infantil), que até então era cuidado e olhado pelos pais; e a partir de agora, torna-se produto e responsabilidade de si mesmo. Não só o adolescente como também seus pais, viverão este luto intensamente, talvez sem entender direito o que está acontecendo. Começam a surgir vários tipos conflitos chamados pelos pais de “revoltas”, que achando que é uma mera afronta contra sua autoridade, intitulam os filhos “aborrecentes”. Mas não é apenas isso; o jovem está vivendo sua transformação íntima e precisa de diversas formas, tentar encontrar-se em seu novo corpo, com suas novas sensações. Aos poucos ele irá conhecer a nova pessoa que habita em seu interior e construir uma auto-identidade totalmente modificada, tanto através de suas próprias experiências positivas e negativas, quanto através dos grupos com que convive. Agora ele não é mais totalmente dependente de seus genitores, pode tomar algumas decisões por si só, mas também não é unicamente independente. Ele se apaixona pela primeira vez e sente o mais intenso do afeto que pode viver juntamente com o mais intenso ódio; uma verdadeira montanha russa de emoções que não pode ser evitada. Procura satisfazer suas necessidades de imediato e quando isso não é possível por alguma razão, o mundo desaba sobre ele. Aos poucos ele vai aprendendo a lidar com tal situação, afinal, não se pode ter TUDO sempre! É nesta etapa que vai firmar um intenso contato com seu próprio eu e criar em sua mente ou talvez vivenciar o ato sexual. Ele se depara com ejaculações noturnas e se sente excitado em vários momentos, desejando uma garota; seus hormônios estão à flor da pele e isso o empolga. “Logo serei um homem!”, pensa. Mas ainda tem muitos obstáculos a enfrentar, ACREDITE!

Se em algum momento desta leitura você se identificou, lembrou ter vivido, presenciado ou talvez esteja passando por tal situação; não se preocupe, é apenas a transição que passamos para chegar da infância à fase adulta. Ela acontece com garotos e garotas de todo o mundo, sem diferença de cor da pele, classes sociais ou cor dos olhos. Infelizmente ou felizmente não pode ser interrompida, pois além de ser uma das fases mais importantes do desenvolvimento, será ali que ele viverá e terá a chance de se descobrir e definir quem será dali para frente! Esses conflitos são absoltamente normais, porém quando passado dos limites podem representar alguma patologia ou caso mais sério. O livro adolescência normal fala justamente sobre isso, abordando mais a fundo até quando as confusões da adolescência são normais e considerando a fase da adolescência com todas as modificações que o adolescente poderá enfrentar. De forma clara de bem esclarecida, os autores Arminda Aberastury e Mauricio Knobel, desenvolvem o tema visando esclarecer muitas dúvidas que talvez sejam as suas. É um livro intenso e didático que trás à tona os verdadeiros motivos de toda essa desordem vivida pelos jovens e consecutivamente temida por seus pais e familiares. Com certeza, lhe acrescentará muito conhecimento, vale a pena ler e conferir! Como o livro aborda o assunto através do enfoque Psicanalítico, elaboramos um glossário com algumas palavras e termos mais específicos da área e também alguns outros menos conhecidos para facilitar o entendimento do leitor que talvez não tenha conhecimento na área ou alguma dúvida referente às palavras apresentadas no decorrer do texto. (As fontes serão especificadas ao término do glossário). Boa leitura!

GLOSSÁRIO:

1- Adultomorfismo: Ato de tratar o adolescente de como se já tivesse alcançado a idade adulta, ignorando que ele vive uma transição.

2- Ambigüidade: Algo que possui diversidade de sentidos, ou seja, pode ser interpretado de várias maneiras.

3- Ambivalência: Estado em que um mesmo indivíduo possui comportamentos opostos. Ex: Amor e ódio.

4- Auto-erotismo: Auto-erotismo é o fenômeno produzido na ausência de qualquer estímulo externo em que o sujeito obtém a satisfação recorrendo unicamente ao seu próprio corpo. Ex: masturbação.

5- Castração: Evento que ocorre durante o processo edípico, onde o menino tem medo de ser “castrado” pelo pai.

6- Cenestesia: É a consciência, a senso-percepção que temos do próprio corpo, soma dos múltiplos estímulos provenientes das diversas partes do organismo e, por conseguinte, a base das sensações.

7- Conteúdo consciente: O conteúdo denominado consciente é aquele que pode ser expresso e consequentemente entendido através da interpretação e da palavra. É o eu, corresponde a nossa identidade pessoal e é regida pelas normais sociais.

8- Conteúdo Inconsciente: É considerado conteúdo inconsciente aquele que guarda nossos instintos, desejos e vontades reprimidas por algum motivo. Esse conteúdo não atravessa para o consciente, pois é fortemente censurado pelo psiquismo.

9- Conteúdo Manifesto: É o conteúdo do sonho expresso através da sua própria narrativa, antes que esse conteúdo seja submetido ao trabalho analítico de descoberta de seus significados inconscientes. O conteúdo manifesto é, portanto, o conteúdo lógico, consciente. Cada pessoa pode manifestá-lo de uma maneira.

10- Despersonalização: É entendida como uma desordem dissociativa, caracterizada por experiências de sentimentos de irrealidade, de ruptura com a personalidade, processos amnésicos e apatia.

11- Ego: Também chamado de “eu”, é um termo empregado na Psicologia para designar a pessoa humana como consciente de si e objeto do pensamento. O ego faz uma espécie de intermediação com a realidade.

12- Esquizóide: É definido como um Transtorno de Personalidade (TPE), que é caracterizado pela falta de interesse em relações sociais, tendência ao isolamento, à introspecção e a frieza emocional.

13- Exibicionismo:
É um desvio sexual manifestado pelo desejo incontrolável de obter satisfação sexual no fato puro e simples de exibir os órgãos genitais a outros.

14- Fantasias: Produtos da imaginação que podem originar-se de conflitos resultan­tes de desejos instintivos insatisfeitos ou resul­tantes de frustração na realidade externa.

15- Fase Genital: É uma das fases do desenvolvimento infantil que ocorre aproximadamente a partir dos 11 anos de idade e consiste no estágio final do desenvolvimento sexual, começa com a puberdade e a capacidade para a verdadeira intimidade.

16- Fobias: É o temor ou aversão exagerada ante situações, objetos, animais ou lugares.

17- Id: É considerado um extrato psíquico que busca permanentemente a satisfação.

18- Incesto: É a relação sexual ou marital entre parentes próximos ou alguma forma de restrição sexual dentro de determinada sociedade.

19- Libido: É a caracterizada como uma energia aproveitável para os instintos de vida, seja ela qual for.

20- Mecanismos defensivos: Esses mecanismos conseguem reprimir ou recalcar desejos, negar, disfarçar, etc. São estritamente necessários para manter um equilibro psíquico. Visam encontrar uma solução para conflitos não resolvidos ao nível da consciência.

21- Narcisismo: Processo pelo qual o sujeito assume a imagem do seu corpo próprio como sua e se identifica com ela.

22- Patologia: É o estudo das doenças em geral sob aspectos determinados. Na Psicologia é denominada como uma espécie de sofrimento ou alteração psíquica.

23- Processo Edípico: Também chamado de complexo de Édipo, é uma fase enfrentada por todas as crianças (tanto meninos como meninas), entre idade média de 3 a 6 anos. Caracteriza-se pela sexualização dos próprios pais.

24- Projeção: Atribui ao outro um desejo próprio, algo que justifique a própria ação. Ex: o estudante cria o hábito de colar nas provas dizendo, para se justificar, que os outros colam ainda mais que ele.

25- Psicopatia: Também conhecida como Sociopatia, é considerada uma grave patologia do superego que se caracteriza pela ausência de culpa, facilidade em mentir, egoísmo, ausência de afeto e prazer em prejudicar o de outros, chegando a cometer crimes.

26- Síndrome: É o agregado de sinais e sintomas associados a uma mesma patologia e que em seu conjunto definem o diagnóstico e o quadro clínico de uma condição médica e psicológica.

27- Sublimação: A sublimação consiste na adoção de um comportamento ou interesse que possa enobrecer comportamentos que são instintivos. Pode ser comparada a uma válvula de escape. Ex: Um homem descarrega seus instintos agressivos tornando-se um lutador campeão.

28- Superego: O superego se comporta como um vigilante, contendo nele valores e morais impostos pela sociedade.

29- Vínculo Oral: Na fase oral ou hedonismo bucal, o desejo e o prazer localizam-se primordialmente na boca e na ingestão de alimentos e o seio materno, a mamadeira, a chupeta, os dedos são objetos do prazer.

30- Voyerismo: É um desvio sexual manifestado pelo desejo incontrolável de obter satisfação no ato de observar a outros.


REFERÊNCIAS:

1- http://www.pime.org.br/noticias.inc.php?&id_noticia=5521&id_sessao=3

2- http://pt.wikipedia.org/wiki/Ambigüidade

3- http://pt.wiktionary.org/wiki/ambival%C3%AAncia

4- http://www.advir.com.br/sermoes/especial/sexo/autoerotismo.htm

5- Livro: Édipo, o complexo do qual nenhuma criança escapa, J.-D. Nasio.

6- http://www.pdamed.com.br/diciomed/pdamed_0001_04543.php

7- http://filotestes.no.sapo.pt/psicCorrent01.html

8- http://filotestes.no.sapo.pt/psicCorrent01.html

9- http://pt.wikisource.org/wiki/Hist%C3%B3ria_das_Psicoterapias_e_da_Psican%C3%A1lise/XII/I

10- http://pt.wikipedia.org/wiki/Despersonaliza%C3%A7%C3%A3o

11- http://fundamentosfreud.vilabol.uol.com.br/segundatopica.html

12- http://pt.wikipedia.org/wiki/Transtorno_de_personalidade_esquiz%C3%B3ide

13- http://pt.wikipedia.org/wiki/Exibicionismo

14- http://www.redepsi.com.br/portal/modules/wordbook/entry.php?entryID=2058

15- http://pt.shvoong.com/books/1693901-desenvolvimento-infantil-segundo-freud/

16- http://pt.wikipedia.org/wiki/Fobias

17- http://www.comciencia.br/reportagens/psicanalise/psique06.htm

18- http://pt.wikipedia.org/wiki/Incesto

19- http://pt.wikipedia.org/wiki/Libido

20- http://www.comciencia.br/reportagens/psicanalise/psique06.htm

21- http://www.psicologado.com/site/escolas/psicanalise/introducao-narcisismo

22- http://pt.wikipedia.org/wiki/Patologia

23- - Livro: Édipo, o complexo do qual nenhuma criança escapa, J.-D. Nasio.

24- http://www.cobra.pages.nom.br/ecp-psicanalise.html

25- http://www.amar-ela.com/sintomas-de-psicopatia

26- http://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%ADndrome

27- http://www.cobra.pages.nom.br/ecp-psicanalise.html

28- http://www.cobra.pages.nom.br/ecp-psicanalise.html

29- http://www.cobra.pages.nom.br/ecp-psicanalise.html

30- http://akhenaton.sites.uol.com.br/psicanalise.htm


Postado por Alessandra e Joice -Psi 23.